A chance do Brasil

A chance do Brasil Aécio Neves discute sobre reforma política

É o desejo de muitos brasileiros de bem. É o caminho mais sensato e seguro para a nossa jovem democracia. Embora, a travessia seja desafiadora e complexa, a necessidade de mudar os rumos da nossa política torna-se necessária, urgente e imprescindível.

Ontem (16/04), um passo nesta caminhada foi apresentado, em audiência pública, na Câmara dos Deputados por Aécio Neves e seu partido: a necessidade de o Congresso Nacional avançar nas discussões sobre a reforma política.

Na proposta apresentada pelo PSDB, a reforma política ideal para o Brasil seria o fim da reeleição e adoção do mandato de cinco anos para os cargos do Executivo e Legislativo.

Se alguém tinha alguma dúvida sobre o efeito nefasto da reeleição, esta última eleição presidencial mostrou que ela não pode continuar. A atual presidente da República desmoralizou o instituto da reeleição. Portanto, acho que o fim da reeleição é adequado ao Brasil, com uma isonomia maior para todas as candidaturas.” Aécio Neves

Também foi apresentado na proposta da reforma o retorno da chamada “cláusula de desempenho”, que estipula uma representação mínima na sociedade para que o partido possa ter acesso aos recursos do fundo partidário e ao tempo de rádio e TV.

Para Aécio Neves, a medida é necessária para evitar que se multiplique os chamados partidos de aluguéis.

A transparência na reforma política é um dos fios condutores da proposta apresentada pelo partido de Aécio Neves. O PSDB defende o voto distrital misto, o fim das coligações proporcionais e o financiamento misto de campanhas por público e privado, desde que haja a fixação de um teto para doações.

CHANCE-01.1

 

Outra proposta é sobre o tempo de rádio e TV nas eleições. O partido propõe que o tempo de propaganda seja proporcional às bancadas dos partidos do candidato e do vice, excluindo a soma do tempo dos outros partidos que façam parte da coligação. Assim, o tempo destinado aos candidatos será exclusivamente para apresentar propostas de governo e não mais truques de marketing, como ocorreu na última eleição.

É a última chance que o Brasil moderno tem de fazer uma reforma política. Nós que vivemos em uma democracia participativa não conseguiremos avançar na definição de reformas estruturais ou das graves questões nacionais sem que os partidos políticos existam e funcionem e estejam conectados com a sociedade.” Aécio Neves

Um comentário

  • Roberto Lino Machado 21 de abril de 2015 at 14:00

    Minha Proposta para a reforma politica, Vai mais além e atinge o Judiciário. Já que. Sendo o judiciário, Um dos Três poderes de um governo Democrático, Precisa ser escolhido pelo povo e ter a duração do mandato dos parlamentares e do executivo. Outro ponto que deveria haver mudanças, Seria no numero de Parlamentares. Seria 10 Deputado por Estado e do Distrito Federal, E 2 Dois Senadores por Estados Incluindo o Distrito Federal,

    No caso dos Municípios, Acabaria a Figura do Vereador e teria como fiscalizadores e intermediando o executivo Municipal e os cidaõs, Presidentes de Associações de Bairro, Remunerados.

Não é possivel comentar.