Comitiva retorna da Venezuela

Comitiva retorna da Venezuela Parlamentares lamentam por não concluir agenda naquele país

A comitiva de parlamentares que viajou para a Venezuela retornou ao Brasil na madrugada desta sexta-feira (18/06).

Na bagagem de volta, o lamento por não concluir a missão principal da viagem, após duas tentativas: levar a mensagem de paz ao país e incentivar as eleições livres e visitar presos políticos opositores ao governo de Nicolás Maduro.

Ao chegarem no aeroporto de Caracas, Aécio Neves e os parlamentares ficaram presos no avião antes de conseguirem se encontrar com as esposas dos presos políticos, mas ao seguirem para cumprirem agenda no país, o carro da comitiva foi interceptado por manifestantes favoráveis ao governo de Maduro.

Os policiais venezuelanos não contiveram os manifestantes e não desbloquearam a passagem do veículo da comitiva.

Em Caracas, a comitiva de parlamentares se encontra com as esposas dos presos políticos opositores do governo de Maduro - Foto: Fabiola Ferrero

Em Caracas, a comitiva de parlamentares se encontra com as esposas dos presos políticos opositores do governo de Maduro – Foto: Fabiola Ferrero

Para Aécio Neves, após o episódio em Caracas, o governo brasileiro passa a ser, ainda mais, cúmplice dos acontecimentos na Venezuela.

O governo brasileiro precisa mostrar de que lado está: se do lado da democracia, de seus representantes, ou do lado do autoritarismo daquele país.” – Aécio Neves

A comitiva viajou a convite das esposas dos políticos presos e chamam atenção da América Latina para o horror da ditadura bolivariana.

A presidente Dilma Rousseff nada declarou sobre o episódio ocorrido com os parlamentares na Venezuela. Transferiu a responsabilidade, as palavras e ações para o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira. O Congresso e o Senado repudiaram o episódio ocorrido em Caracas.