Democracia às claras

Democracia às claras Ao contrário de golpe, o que o Brasil vive é a plenitude democrática, afirma Aécio Neves

Em outubro de 2014, a presidente Dilma Rousseff venceu as eleições presidenciais pela segunda vez e a militância petista bradou que não haveria “terceiro turno”, quando a oposição foi ao Tribunal Superior Eleitoral sugerir a recontagem dos votos.

Durante todo o ano de 2015, Dilma tentou esconder com uma peneira, a escaldante crise econômica que assolava o país com as mais altas taxas de desemprego, retração de setores como indústria, serviços, comércio e as altas da inflação e da moeda americana.

No final do ano passado, anunciou que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, tramava um golpe contra o governo, ao aceitar o pedido de impeachment por crimes de responsabilidade fiscal, as chamadas pedaladas fiscais.

Quando milhões de brasileiros vão às ruas mostrar insatisfação contra o governo e apontam, em pesquisas populares, que 70% desaprovam a sua gestão, ela afirma que tudo não passa de uma tentativa de golpe arquitetado pelos partidos de oposição e pela imprensa brasileira.

Quem quer mesmo dá o golpe no Brasil?

Quando grande parte da elite partidária está comprometida com escândalos de corrupção ou está presa ou está sob investigação?

Como acreditar em mudança do próprio governo, quando ele não oferece nenhuma agenda política, nenhuma saída para enfrentar a crise econômica, somente aumento de impostos com a recriação da CPMF.

A qualquer custo, o PT quer o poder para sua sobrevivência, para mostrar que ainda está com a faixa presidencial.

Aécio Neves e líderes da oposição se reúnem com jornalistas para esclarecer sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff - Foto: George Gianni

Aécio Neves e líderes da oposição se reúnem com jornalistas para esclarecer sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff – Foto: George Gianni

Ao contrário do golpe, o que o Brasil vive, neste momento, é a sua plenitude democrática. O despertar para a criação de novos rumos para o país, com o pensamento voltado para as possibilidades do futuro, encerrando assim, um ciclo de poder voltado apenas para um partido político.

Nesta terça-feira (29/03), a oposição se reuniu em Brasília para dizer que não há golpe no país, mas, sim, de inquietação política.

Aécio Neves, uma das maiores vozes da oposição ao atual governo, com a Constituição na mão, falou para jornalistas e agências de notícias internacionais, para que tudo fique às claras.

O Brasil não está prestes a sofrer um golpe, ao contrário do que lideranças do PT e do governo e a própria presidente da República têm dito ao mundo. O processo de impeachment instalado na Câmara dos Deputados segue estritamente o que determina a Constituição federal do país.” – Aécio Neves

Ele também esclareceu os motivos pelos quais a presidente Dilma Rousseff está sendo impedida de governar, o descumprimento da Lei de Responsabilidade que não é permitido burlar, segundo a Constituição brasileira.

Clareza. Este é o desejo de muitos brasileiros para que a política deste país. Golpe é apagar as luzes da democracia.