Minas sem água

Minas sem água PT mineiro foi contra ampliação de abastecimento de água na RMBH

Assim como o estado de São Paulo, Minas Gerais enfrenta uma de suas piores secas dos últimos anos. Diante dessa estiagem, o atual governo mineiro esteve em reunião, com a presidente Dilma Rousseff, esta semana, para pedir apoio no combate à crise hídrica. O apoio do Governo Federal foi irrestrito ao aliado estadual, Fernando Pimentel.

Mas, vale ressaltar que antes de se vitimar com a crise hídrica, o PT mineiro foi contra o investimento e a implantação da Parceria Público-Privada (PPP) no Complexo Rio Manso, que ampliava o abastecimento de água na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Fernando Pimentel era membro da equipe ministerial do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff e, diga-se de passagem, amigos de longa data, quando a Agência Nacional de Águas (ANA) alertou ao Governo Federal sobre a possibilidade de faltar água em mais de 50 por cento dos municípios brasileiros, se não houvesse investimento eficaz nesse setor. Uma boa parte desses municípios estão no estado mineiro. Entretanto, segundo o ex-diretor da Companhia de Abastecimento de Água de Minas Gerais (Copasa), Juarez Amorim, nenhum comunicado oficial da ANA chegou à diretoria da companhia mineira.

Antes de qualquer alerta da agência nacional, a Copasa já estava se preparando para o futuro, investindo na ampliação do abastecimento de água na capital mineira e em todo estado.

Inclusive, o projeto de captação do Rio Paraopeba para ampliação da rede de abastecimento na Região Metropolitana de BH já havia sido orçado, planejado e licenciado em dezembro de 2014, dependendo apenas da autorização da nova diretoria da Copasa.

Minas é o Brasil no estado. Possui regiões com chuvas regulares e lugares onde a estiagem é uma constante. Nos últimos 12 anos, a Copasa, empresa que responde pelo abastecimento de água no estado, investiu mais de R$8,5 bilhões em saneamento e, anualmente, trabalha na conscientização da população para a economia de água, com campanhas educativas. Por tudo isso, é considerada uma das empresas mais sólidas e premiadas neste ramo.

águaemminas

Na ocasião das críticas no Sistema Rio Manso, os aliados do PT, como a CUT e o SindiÁguas chegaram a dizer que o governo anterior estava com claras intenções de privatizar a água da Região Metropolitana de Belo Horizonte e previam que a obra de ampliação no Complexo Rio Manso seria necessário apenas a partir de 2025.

Na certa, para eles, assim como para o Ministro de Minas e Energias, Eduardo Braga, “Deus é brasileiro e vai fazer chover”. Tomara que Ele também perdoe tanta irresponsabilidade e falta compromisso público, dando ao Brasil a chuva e o alívio que o PT nunca fez por merecer.