Nordeste acredita na mudança

Nordeste acredita na mudança Aécio Neves é apontado como melhor alternativa para os baianos

A Bahia, um dos maiores redutos políticos do PT, já vem demonstrando que não admite mais os desmandos, as crises e a falta de comando da presidente Dilma Rousseff.

Numa pesquisa realizada pelo Instituto Paraná e divulgada nesta sexta-feira (16/10), 68% dos baianos querem o impeachment da Dilma. E dentro desta porcentagem, muitos eleitores votaram nela nas eleições do ano passado.

A impopularidade da presidente no Estado favorece aos candidatos de oposição ao governo. E numa simulação de disputa presencial quem aparece como melhor alternativa para os baianos é Aécio Neves.

Os números são expressivos. Numa disputa com o ex-presidente Lula, Aécio Neves aparece com 30,4% das intenções de voto, contra 27,5% do candidato petista.

pesquisa-parana

Em julho, a mesma pesquisa apontava um outro cenário. Aécio estava três pontos percentuais abaixo de Lula. O que prova que a insatisfação e o grito de basta já estão ecoando por todos cantos da Bahia.

Quando a simulação é feita para o 2° turno, a diferença seria ainda mais significativa, com 45,3% dos votos para Aécio e 39,7 para Lula.

Quando medida a rejeição dos candidatos, Lula tem um índice de 48% e Aécio 29,2%.

O Instituto Paraná Pesquisas ouviu 1.325 eleitores, em 70 municípios do Estado, entre os dias 9 e 14 de outubro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais e para menos.

Um comentário

  • Ernesto 16 de outubro de 2015 at 17:21

    Não vejo qualquer fato positivo nesta pesquisa, e porque?

    Porque mesmo com todo o desgaste do Lula, ele ainda tem 27,5% de intenções! Proporcionalmente, muito alto.

    Já a sua rejeição em 29,2% é muito alta para quem tem um recall positivo e recente.

    Isto evidencia que está precisando de uma melhor eficiência no trato com as mídias! E olhe que ainda tem Marina Silva, no quase ostracismo e ainda pontuando em outras pesquisas!

    Vamos melhorar estes índices pois o trabalho do PSDB será difícil para os próximos anos, após a queda do que aí está!

    Sucesso.

    Ernesto

Não é possivel comentar.