O preço da irresponsabilidade

O preço da irresponsabilidade Brasileiros vão pagar na conta de luz quando houver estiagem

E mais uma vez, o governo federal decidiu repassar para os consumidores o rombo da inoperância, da falta de planejamento e incompetência.

Ontem (24/11), o Senado aprovou a Medida Provisória 688 que permite que as concessionárias de energia repassem para o consumidor final os custos de despesas extraordinárias provocadas pela estiagem na geração de energia elétrica.

O PSDB votou contra a MP, mas foi minoria no Senado. Aliás, essa luta contra o repasse dos custos para o consumidor vem sendo travada desde 2012. Lá atrás, Aécio Neves foi contra a fórmula mágica de o governo diminuir a tarifa de energia elétrica para as residências e indústrias.

Entretanto, a presidente da República bateu o pé e contrariou os avisos técnicos. Diminuiu o valor da energia e colocou os brasileiros para consumirem. Preferiu enganar a população a investir em energias alternativas ou em mais redes de transmissão. Para a oposição, sobrou o deboche e a classificação de pessimista.

Um ano depois, após as eleições, voltou atrás e, algumas regiões do Brasil, a conta de luz teve um aumento de cerca de 70%. Um verdadeiro ludíbrio para os brasileiros que acreditaram nessa e em outras mentiras contadas pelo PT.

vela

A verdade desta MP é que o governo quer mesmo tampar o rombo do bilionário no déficit do Tesouro Nacional. Com os olhos voltados para o leilão de vinte novas usinas de distribuição de energia elétrica que ocorreu nesta quarta-feira (25/11), Dilma Rousseff quis mesmo foi tornar o leilão mais atrativo para as concessionárias, como Cemig, Cesp, Copel e Celesc.

Se o leilão dessas usinas atender às expectativas do governo federal, a previsão de arrecadação é de R$17 bilhões de reais. Um bom suspiro nas contas públicas do governo. Mas, o retorno desse dinheiro para investimento em energia elétrica mais barata, boa parte dos brasileiros já reconhece que é praticamente impossível no governo petista.

É mais uma medida extrema do governo federal para repor algum recurso nos cofres do Tesouro federal baqueado pela ação irresponsável do governo, ao longo do último ano. Agora, o governo busca arrecadar um determinado recurso para suprir a necessidade de caixa. Quem vai pagar esta conta ao final? Serão os consumidores.” – Aécio Neves

O alerta feito em 2012 e, agora, novamente pela oposição mostra que o Brasil precisa colocar os pés no chão. Não há como lutar contra previsões meteorológicas, fenômenos da natureza. O período de estiagem, como vem acontecendo em muitos estados brasileiros, está se estendendo além do normal.

É preciso trabalhar com responsabilidade e gestão para que o Brasil não passe pela atual crise também no escuro.